quinta-feira, 18 de abril de 2013

Livre-se das cebolas.


"Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos." (Números. 11: 5)

Diante de tudo na vida, Jesus Cristo é sempre a melhor opção. 

Ele é o único que pode nos levar por um caminho de paz, sabedoria, integridade e tudo o mais que seja bom e verdadeiro. Contudo, o mundo tenta de todas as maneiras nos distrair em nossa jornada que nos conduz ao Salvador, mostrando coisas que podem nos escravizar e fazer com que tiremos o olhar do nosso farol verdadeiro que é Cristo. 

Olhando para ele seguiremos em linha reta e as distrações serão entendidas como tal. Saberemos o que é distração e o que é realmente relevante. 

Olhando para Cristo não ficaremos dando voltas e perdendo tempo, assim como fez o povo de Israel que perdeu 40 preciosos anos de suas vidas caminhando em um árido deserto porque estava se distraindo com lembranças passadas, coisas fúteis e pequenas, lembrando-se das cebolas do egito e esquecendo-se da terra que manava leite e mel. Essa é uma escolha fruto da distração, que mesmo podre disfarça-se de saudável e suculenta. Essa distração nos faz escolher momentos curtos de prazer que trarão em seu bojo uma vida inteira de consequências terríveis e infindáveis.

É por isso que a Bíblia nos ensina que devemos sempre perguntar ao melhor conselheiro o que devemos fazer, antes de fazer. Parece óbvio, mas o mundo decaído coloca escamas em nossos olhos, fazendo com que tudo fique meio desfocado e mesmo assim, aparentemente normal. Não é depois de buscar conselhos com as pessoas erradas. Depois de consultar os índices diversos. Depois de ir ao encontro daquele amigo influente, que devemos olhar para quem tem "...pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.", que é o nosso amado Deus. 

Depois de tudo falhar e de seus esforços terem demonstrado que forão em vão, alguns dizem que irão orar para que Deus os oriente, invertendo as coisas. Primeiro oramos, e buscamos o conselho divino. Depois saímos em campo para a batalha, armados com a verdade. Isso é saber a ordem correta das coisas e o que está fora disso é pura distração.

Cristo é o melhor caminho, assim disse a minha filha de apenas 7 anos de idade. Ela já sabe que os outros caminhos levam à morte e que só existe um, que é Jesus, que nos conduz à vida eterna mesmo com as dificuldades tentando nos provar o contrário. Mesmo no caminho estreito ou carregando a nossa cruz e o fardo dele que é leve. 

Assim conseguiremos ter a paz que excede a todo o entendimento. Aquela paz relevante e duradoura que não é privilégio de poucos, mas que está à disposição de todos os que não se deixam distrair pelo show da vida, pelas imagens frenéticas do mundo virtual, pelo efêmero e pelo "meu direito de ser feliz" que invariavelmente está atrelado ao pecado do egoísmo, fazendo-se de algo bom, mas que no momento de nossa sincera reflexão guiada pelo Espírito Santo mostra sua cara dissimulada e zombeteira. 

O pecado distrai, mas Jesus Cristo no traz de volta ao ÚNICO caminho que realmente vale à pena. Livre-se das distrações, volte a olhar firmemente para Cristo e não permita que nada mude o seu foco. Nem as cebolas do egito.

Autor: Tom Alvim
Imagem: Stock.xchng

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho ofensivo, racistas, desprovido de coerência ou outros semelhantes a estes. Obrigado por seu interesse e volte sempre a este blog. Seu comentário é muito importante.