quarta-feira, 19 de novembro de 2014

FELICIDADE EXISTE?


(Pregação feita no culto de oração da Primeira Igreja Batista em Pouso Alegre) 
O texto abaixo é o esboço de uma pregação, por isso a forma que foi escrito é diferente de um texto específico para um post.
“Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.”(Mateus 5:13)

A verdadeira felicidade humana está baseada no fazer a vontade de Deus de maneira inequívoca, mesmo que alguns relutem em acreditar nela, pois dizem ser algum muito subjetivo, nós os crentes em Jesus Cristo sabemos que ela é palpável e está ao alcance de qualquer um que queira cumprir o seu propósito nesta existência.
O sermão da montanha nos dá o caminho à seguir, dizendo que um sal para salgar e a luz para iluminar precisam ter em si certos “ingredientes” que façam isso acontecer: No caso do sal; compostos químicos e no caso da luz branca; componentes.

Por exemplo: O cloreto de sódio consiste em um dos mais importantes e conhecidos sais da química inorgânica, e apresenta em sua estrutura um cátion, derivado do elemento químico sódio, e um ânion, derivado do elemento químico cloro, monovalentes, que confere à molécula uma relativa hidrossolubilidade e solubilidade na maior parte dos solventes polares. Comumente é designado por sal de cozinha ou simplesmente por sal, e se apresenta em condições normais como um sólido cristalino branco. (http://www.infoescola.com)

Já a luz é composta por luzes de várias cores.

SEM ISSO, ELES NÃO SERÃO O QUE SÃO. SERÃO OUTRA COISA QUALQUER!
Um ser humano para salgar precisa primeiro ter sido salvo por Cristo, esse ser humano irá salgar com a finalidade de transformar vidas e encaminhá-las para o céu.

Não existe neste mundo nada que produza mais felicidade do que isto: Salgar – cumprir o SEU propósito aqui, por isso não é difícil ver pessoas riquíssimas, amarguradas, depressivas e querendo aproveitar apenas esse pequeno tempo presente para serem felizes. Conquistam o mundo, mas perdem as suas almas.

Diante disto nasce em nós certas Convicções:


Primeiro, nascemos com um propósito:

“Grandes mentes têm propósitos; as outras têm desejos” (Whashington Irving)

Parafraseando: “A vida do crente tem um propósito; fora disso só há desejos”

- Programas televisivos de compras: Compre, compre, compre!

- Apresentadora "infantil" brasileira: Seja feliz agora! (Solte a franga!).

- Propagandas: Anúncios de desejos.

- Profissão: Vença na carreira, mesmo que isso o esgote totalmente.
Segundo, de que o evangelho é realmente o Poder de Deus para transformar vidas:

O evangelho é como uma flecha que nunca erra o alvo e se fizermos apenas o que devemos (falar de Deus para as pessoas) VEREMOS os frutos.

- Pessoas sendo salvas,

- Famílias sendo restauradas,

- Comunidades se reestruturando e o caos tomando forma, é isso que Deus faz nas vidas que se entregam a ele.

Terceiro, não estamos perdendo tempo:


Quando saímos de nossas casas para ir ao culto.

Quando vamos fazer uma visita à alguém que precisa de nós.

Quarto, sei para onde vou:

“E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?” (João. 11: 26)

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.
Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.

E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.

Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.”
(João. 14: 1,4)

Um dos grandes abismos da alma humana é não saber o que vai acontecer após a sua morte. Isso pode gerar a mediocridade,

pode gerar a apatia,

pode gerar a ansiedade,

pode gerar a morte prematura, pois se essa vida não tem sentido para que vivê-la? Mas o crente em Jesus Cristo, tem dentro de si a convicção da vida feliz que já começa nesta existência e vai continuar eternamente ao lado daquele que o criou. Não existe vazio, não existe infelicidade, porque este sentimento de missão e propósito nos leva a sermos felizes. Não porque buscamos a felicidade incansavelmente, pois ela nada mais é do que a consequência de uma vida SACIADA em Deus e que o anseia mais do que a própria felicidade.
Autor: Tom Alvim
Imagem: stock.xchng

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho ofensivo, racistas, desprovido de coerência ou outros semelhantes a estes. Obrigado por seu interesse e volte sempre a este blog. Seu comentário é muito importante.