terça-feira, 17 de abril de 2012

Seu filho não está nas mãos do acaso


 "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele." (Provérbios. 22: 6)


Seria este conselho do Rei Salomão uma verdade irrefutável? Afinal de contas está escrito na Bíblia e nós sabemos que ela foi inspirada por Deus para que tivéssemos segurança, Nele, nesta vida.

Pois bem, se pensarmos como alguns por ai iremos começar a fazer nossa própria interpretação bíblica dissociada totalmente daquilo que realmente deve ser. É o tal do desconstrucionismo, ensinado em muitas universidades e usado até na teologia, mesmo que essa não tenha sido a intenção de seu criador.

Já ouvi alguns "pregadores" dizerem tantas bobagens acerca deste e de tantos outros textos sagrados que resolvi escrever algo sobre este tema tão importante para nossas famílias.

Ouvi certa vez um pastor famoso no Brasil dizer que este texto não nos garante que nossos filhos ficarão firmes na Rocha até o fim, e essa afirmação dele deixou-me profundamente preocupado. Então a Bíblia nos garante o quê? Nos garante uma vida lançada ao acaso?

Este mesmo pastor em uma de suas pregações quase "destruiu" o que penso sobre oração e no final deixou um gosto amargo de impotência espiritual em minha boca e em meu coração, pois em resumo a oração, para ele, não devia ser uma conversa diária com Deus, uma intimidade constante, mas apenas um estado de espírito que não iria requerer de nós esforço algum. Ele gosta de quebrar paradigmas, eu também, mas não de forma irresponsável só para dizer que sou do contra.

Uma criança, é como diz o conhecimento popular "uma esponja" que absorverá tudo o que seus pais, a televisão, a Internet, as "tias" da escola, os professores da igreja, os traficantes, os homossexuais, os pedófilos e todos aqueles que estejam presentes no dia-a-dia do infante, seja ele amigo ou não, seja ele um cristão ou não, os ensine. Seja através de palavras ou de atitudes.

A criança está vulnerável e por esse motivo aqueles que devem cuidar delas precisam entender isso. Se não tivermos trabalho enquanto estes são pequenos, iremos com toda a certeza ter muito trabalho quando crescerem, pois o título de pais é irrevogável e só acaba quando descermos a sepultura. É algo que irá nos acompanhar por anos a fio e devemos pensar em prepara-los muito bem para viver em plenitude esta vida.

Lembro-me de quando era criança e o meu pai me mandou ceder o lugar aonde estava sentado dentro de um ônibus, para uma mulher grávida. Nunca mais me esqueci disto e passei ao entrar e sentar-me em qualquer condução coletiva, a ficar sempre atento para oferecer o meu lugar para quem realmente precisasse. Aprendi que os assentos não eram para mim enquanto jovem e forte, mas sim para aqueles que estivessem ou fossem mais frágeis e necessitados do que eu.

São nas pequenas coisas que moldamos o nosso caráter e as crianças são como um pedacinho de barro em nossas mãos que estão prontas para darmos os retoques necessários.

Herem Berg no site www.artigonal.com diz no texto "Formação da personalidade e caráter da criança" que: "Até os seis anos o cérebro está em formação e na maioria das vezes não percebemos o quanto somos observados e imitados por nossos filhos. A criança estabelece uma relação com o mundo vivenciando o que está sendo passado através do que ela observa, escuta e percebe."

Agora vejam como ele termina o seu texto: "Os pais precisão estar atentos de que a escolha de quem e como seu filho será educado é uma tarefa difícil, mas necessária para o desenvolvimento da personalidade e do caráter da criança."

Os nossos filhos foram gerados e trazidos ao mundo por nós. Nós fizemos esta escolha e somos responsáveis por eles, não podendo delegar a outros o que é tarefa nossa. Essa geração que está ai hoje é a geração da creche, a geração dos pais-avós, a geração dos sem pais. Assim como existem os sem-terras, os sem-tetos, existem, infelizmente, os sem-pais. Serão crianças confusas, deixadas ou largadas a própria sorte em um mundo que não perdoa os despreparados.

O texto de Salomão surtirá efeito somente se uma série de outros fatores forem trabalhados com muito cuidado. Não é somente ensinar de forma fria e mecânica sobre temas da Bíblia, isso será intediante e produzirá efeito contrário na vida de nossos pequeninos. Este ensinar, trás em si uma gama de valores que já devemos ter inculcado em nós mesmos, para somente depois passarmos para eles. Devemos amar a Deus acima de TODAS as coisas, para que eles também o amem.

Devemos amar ao próximo, para que eles não caiam nas armadilhas do politicamente correto e amem ao próximo de verdade, sem falsidades e sem modismos.

Devemos viver o que pregamos e como um cão que guarda o seu território, ficarmos atentos para as investidas do inferno contra nossa prole.

Não é fácil, mas quem disse que seria? É difícil, irá trazer desconforto em certos momentos, mas será recompensador, ver uma criança tornar-se adulto e gerar frutos, ou melhor assim que ela crer em Jesus Cristo, gerar o fruto do Espírito Santo. Como disse um conhecido meu uma frase em inglês, "no pain, no gain", ou seja sem dor, sem esforço, sem trabalho, não existe o ganho, não existe a recompensa. Aquele que pensa que a graça veio para forjar preguiçosos está totalmente equivocado e confundindo graça com facilidades e corrupção, mas nunca da forma correta como a Bíblia nos ensina.

Ensina seu filho nos caminhos de Deus e ele terá isso em seu coração para todo o sempre.

O maior presente que podemos deixar para os nossos filhos é o temor ao Senhor e alicerçados nisso eles voarão como águias por este mundo tenebroso. Estando mais preparados, para através da Palavra de Deus abençoar e exalar o cheiro suave de Cristo por onde passarem.

Mas lembre-se, a escolha é sua, pai, mãe, ou quem esteja desempenhando estes papéis. Seu filho não está nas mãos do acaso e por acaso se escolhermos descansar agora deitados diante de um aparelho de televisão ou de um computador o tempo todo, iremos nos desgastar e talvez não resolvamos o que poderia ter sido inculcado nos coraçãozinhos jovens e sedentos pela verdade suprema da Palavra de Deus.

Não criamos os nossos filhos para o mundo, criamos os nossos filhos para Deus, para amá-lo de todo o coração.


Autor: Tom Alvim
Imagem: Stock.xchng

3 comentários:

  1. É isso aí esposinho, que o Senhor nos oriente e nos dê sabedoria para cumprirmos bem com nossa obrigação... te amu... ana cristina

    ResponderExcluir
  2. Olá minha amada! Você é mais do que suspeita em seus comentários...rs

    ResponderExcluir
  3. Reformulando a minha resposta a minha amada. Retiro a suspeição, pois o que ela escreveu tem tudo a ver com o texto. Devemos pedir muita sabedoria dos céus para essa nobre missão que é a de educar nossos filhotes. Um beijão minha querida e amada esposa.
    Tom.

    ResponderExcluir

Não serão aceitos comentários de cunho ofensivo, racistas, desprovido de coerência ou outros semelhantes a estes. Obrigado por seu interesse e volte sempre a este blog. Seu comentário é muito importante.