quinta-feira, 26 de abril de 2012

"CHAcotas" RACIAIS!


Se aprovado no STF o sistema de cotas nas universidades, o Brasil deve começar uma nova fase em sua história, principalmente no que diz respeito à unidade nacional e justiça social

Como estamos em plena "ditadura da esquerda", todas a metas desejadas por eles estão sendo alcançadas.  

Primeiro foi a delimitação da reserva de recursos naturais para a ONU, ops! ou melhor, a reserva indígena Raposa Serra do Sol - uma nova nação dentro de outra nação - a marcha para a maconha, depois, o "casamento" gay, seguido do aborto de anencéfalos e agora os racialistas brasileiros conseguirão dividir-nos em "brancos" e "negros" através das cotas raciais. Terá sido o golpe final desta política discriminatória implantada em terras tupiniquins sob a tutela de ONGs internacionais como a Fundação Ford e assemelhadas. Golpe final? Reescrevo, pois esses que estão no poder são insaciáveis, eles sempre querem mais e com certeza não vão parar por ai. O tutano do osso não é o seu limite!

O nosso Supremo é totalmente politizado e jamais votaria algo contra o desejo daqueles que os puseram lá dentro. Um tribunal como este deveria ser composto somente por pessoas de carreira, sem o quinto constitucional, e sem indicação do Presidente da República. Chegando a este posto somente quem tivesse mérito para isso, e por falar em mérito; esse critério está sendo banido de nossas universidades que irão adotar as cotas raciais e as melhores mentes serão prejudicadas por uma lei paternalista, discriminatória e racista.

Escrevi um texto chamado "Black or white" a um bom tempo atrás e nele falo que "...lembro-me quantas vezes minha irmã foi chamada de branca azeda por pessoas que não eram "brancas" e quantas vezes os meus sobrinhos foram chamados de branquelos também por quem não era "branco". E por falar em meus sobrinhos, esses estão perdidos, pois são "brancos", pobres e não vão poder usar o sistema de cotas que está sendo implantado em algumas Universidades brasileiras, pobres meninos "brancos" ou estudam muito, ou nascem gênios, só não podem nascer "brancos", pois o Estado brasileiro não vai perdoar esse erro deles..." Quem quiser ler o texto na íntegra é só clicar neste link. 

Cresci no subúrbio carioca em meio a uma mistura "racial" incrível, aonde mulatos, mamelucos e cafusos (termos em desuso - agora somos brancos, negros, indígenas e/ou pardos) sempre; repito, sempre conviveram em harmonia pelo menos neste quesito. 

Nunca vi ninguém querer queimar uma casa de outras pessoas porque eram pretas, também nunca vi ninguém organizar perseguições de qualquer tipo por que alguém tinha mais melanina do que outros em sua pele. Ouvi algumas piadas de mau gosto sobre "pretos", mas também vi "pretos" desmoralizando "brancos" por terem o seu órgão sexual (segundo eles) menores que os dos "negros". Como será que chegaram a essa comparação? Nem quero saber!

Isso tudo, sempre seguidos de risadas de ambos e sem que ninguém se sentisse ofendido.

Hoje as coisas mudaram, o politicamente correto exige que chamemos os "pretos" de "negros", senão poderemos estar cometendo um crime gravíssimo contra a "raça negra". Outro dia no facebook alguém postou uma foto de uma menininha linda, negra e de cabelinho crespo, a frase criminosa escondida inteligentemente atrás de uma foto que faz qualquer um dar um sorriso de simpatia, pela bela figura angelical daquela criança, dizia: "O meu cabelo não é ruim, ruim é O SEU RACISMO!" Pasmem, alguém estava dizendo aos leitores, que nem ao menos os conhecem, que eles são RACISTAS. Um crime inafiançável e que se for realmente cometido deve ser punido severamente. 

Mas, alguns desavisados, ou desatentos ainda ficavam "curtindo" aquela calúnia. Da mesma forma em um canal da TV aberta passou, ou ainda passa, um comercial que pergunta aos telespectadores. "Aonde você esconde o seu RACISMO?". Gostaram das frases maquiavélicas? Tudo para que pareça algo correto e justo, aonde o Governo brasileiro luta a favor das minorias que sofrem dioturnamente o crime de racismo. Pura balela!

A falácia segue seu rumo, forjando dados, usando poemas, palavras de impacto e deturpando a verdade.

As cotas, infelizmente, serão aprovadas e tudo o mais que for contra o bom senso e a justiça também, pois o STF, como disse no parágrafo anterior, está legislando no lugar do congresso nacional através de tudo, opiniões, poemas, palavras de impacto. Menos adstritos à lei. O art 5º está sendo interpretado de qualquer maneira em nome de daquilo que não presta e nós brasileiros estamos assistindo ao show bizarro de arrogância misturada com ideologias nefastas, como se nada estivesse realmente acontecendo. 

Olho para os meus filhos e penso com os meus botões: "Pobres" crianças brancas, ou estudam muito para ficarem acima da média, ou vão ser discriminadas pelos tribunais raciais que irão se instalar e espalhar pelas universidades públicas Brasil afora.

Chacotas raciais, chacotas de nossas caras. 

É o Brasil mostrando a sua cara, como disse o "poeta" Cazuza em uma de suas músicas cantados por muitos e agora vivida por todos.


Autor: Tom Alvim
Imagem: Stcok.xchng


Sugestões para leituras:



5 comentários:

  1. Tom,

    já estamos em uma "guerra de classes", bem ao gosto da cartilha gramscesca da esquerda brasileira, e, penso, caminhamos céleres para uma guerra de fato, onde denúncias de todo o tipo, contra pais, contra brancos, patrões, heterossexuais, etc, porá alguns na cadeira e outros no calabouço silencioso do "politicamente correto". E se isso não é um tipo de ditadura bem aos moldes totalitários do marxismo, não sei o que mais é.

    O problema é que os adeptos do politicamente correto podem ser incorretos e cometer quantas injustiças quiserem, como a desse cérebro maquiavélico que forjou a foto da menininha de cabelo ruim no facebook. E o pior é que se cria um padrão fora do padrão, exacerbando um sentimento de inferioridade ao invés de fazê-lo superior.

    Se é preciso que se apele para instrumentos tão baixos como o de desqualificar o interlocutor [que nem mesmo entrou na conversa] para se exaltar um senso incomum, há um claro sinal de que não estão tão convictos quanto a nada sobre a questão. Apenas querem dominar, controlando o pensamento, e assim estarem "livres" para implementar qualquer outra barbárie respaldado pelo silêncio ou ignorância das pessoas.

    Vivemos um mundo em franca decadência moral e intelectual, especialmente no Brasil, o que reflete no caos social e nos absurdos que se legitimam em nome de uma suposta justiça e igualdade. É a mentira e a desfarçatez ganhando novamente. E, para piorar, quando as leis são revogadas ou criadas por um grupo de cinco ou seis indivíduos, no caso, o STF, é ditadura brava se instalando.

    Ouvi dizer que foi aprovado no Senado uma lei na qual o Congresso poderia revogar decisões do STF que fossem julgadas abusivas e fora da sua competência, faltando a aprovação da câmara. O problema é que no Congresso tudo é moroso, e ela só valeria para os casos após a sua promulgação, ou seja, o mal que esses senhores de toga têm feito ao país não poderá ser consertado. Ao menos enquanto a mentalidade revolucionária estiver em atividade, sabotando os valores judaico-cristãos da sociedade brasileira [com o apoio dócil da maioria da igreja brasileira].

    Vamos esperar para ver no que vai dar, mas penso que será um tal de revoga lei aqui e ali [caos ainda maior na desordem], que nada andará no país; o que deve estar nos planos de totalização da esquerda, e quem sabe, até mesmo de supressão do legislativo e do judiciário, e a concentração do poder nas mãos do executivo.

    Muito boa reflexão.

    Abraços

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Jorge,
    nunca pensei que veria o nosso país entrando em uma sinuca como esta. Desde criança pensava que um dia iríamos ser uma grande nação, mas tenho que confessar que minha visão de mundo era pueril pela idade e até pouco tempo um tanto quanto poética. Mas as escamas caíram e pude enxergar a trama do anti-Cristo sendo concretizada aos poucos. Não há como negar que o palco está sendo montado. Depois que o governo militar prolongou-se por muitos anos no poder, os "revolucionários" entenderam que não precisavam pegar em armas para que a revolução acontecesse. Eles viram que era necessário apenas infiltrarem-se na política, nas redações dos jornais, nas universidades e até mesmo nas igrejas evangélicas para deturpando a verdade, imporem a mentira paulatinamente no seio da sociedade. "Comendo pelas bordas" eles estão chegando aos seus objetivos, que foram muito bem traçados para que a "revolução" aconteça. Oremos para que em meio a tanta confusão possamos permanecer em Cristo sempre.
    E é nele que me despeço,
    Tom Alvim.

    ResponderExcluir
  3. Tom, não sei se já falei aqui sobre isso, mas, lendo teu post, novamente me vem à mente a questão de que nos EUA os juízes são eleitos pelo povo. Você acha que isso melhoraria? Eu sei que o sistema lá é diferente e que talvez tivéssemos que virar tudo de cabeça para baixo. Mas não teve a campanho do voto distrital? E se valesse à pena, por que não uma campanha pelo judiciário eleito?

    Abraços sempre afetuosos.

    Fábio.

    ResponderExcluir
  4. Olá Fábio,
    olhando este assunto de forma bem superficial a primeira impressão é que, talvez, fosse uma alternativa. O voto pelo povo poderia mudar as coisas, desde que os "bons" ou os "mocinhos"....rs Não se escondessem no anonimato como estão fazendo a muitos anos. Contudo, os esquerdopatas, como dizem por ai, são insistentes e mais aguerridos em seus objetivos, eles só desistem depois que morrem e isso porque não podem voltar para assombrar a sociedade. Infelizmente o povo é pode ser consuzido como massa de manobra se a questão não for muito bem trabalhada. A mídia, os centros de educação e os "formadores de opiniões" sabem fazer o seu trabalho de casa. Ontem fiquei um pouco mais triste, não pelas cotas em si, mas por ver que tudo de ruim e contra a verdadeira democracia está sendo votada no STF que hoje está legislando pela causa da esquerda. Esquerda armada até hoje, só que com outra arma, a arma da política e das leis. Sejam elas morais, imorais ou amorais.
    Em Cristo,
    Tom.

    ResponderExcluir
  5. Verdade, Tom. Está tudo tomado, mas sigamos salgando, esperando a volta do Mestre.

    Abraços sempre afetuosos.

    Fábio.

    ResponderExcluir

Não serão aceitos comentários de cunho ofensivo, racistas, desprovido de coerência ou outros semelhantes a estes. Obrigado por seu interesse e volte sempre a este blog. Seu comentário é muito importante.